Serviços de autoatendimento reduzem lotação de hospitais

Autoatendimento de triagem

Pacientes têm acesso a um aplicativo ou site simples para registro de seus sintomas a partir dos quais o software pode sugerir consultas via telemedicina até visitas a um serviço de urgência hospitalar. O foco desta triagem é a simplicidade, assim foi elaborado um questionário objetivo com termos populares para descrição das patologias.


Caso a avaliação dos sintomas indique a necessidade de uma consulta presencial o paciente será instigado a detalhar seus sintomas, assim como será instigado a anexar laudos de tomografia, hemograma e teste do COVID-19, caso os tenha. Todos os dados coletados podem ser acessados pela equipe de enfermagem na triagem hospitalar e pelos médicos.

O serviço de triagem pode ter layout customizado  e ser embutido em aplicativos ou portais de governos, operadoras de Saúde, hospitais ou empresas diversas. Veja o serviço de triagem em operação no portal da Unimed em www.unimedcontraocoronavirus.com.br

Triagem via telemedicina

Pacientes com indícios de contaminação com COVID-19 identificados na autoavaliação de sintomas da Mindify, ou até de terceiros, podem ser convidados para chamar centrais de atendimento via telefone ou teleconferência. Nestes casos a Mindify também ajuda os médicos e enfermeiros das centrais a executarem atendimentos padronizados gerando dados também padronizados e estruturados acessíveis aos hospitais indicados pelo paciente.

A Mindify pode ser integrada a qualquer serviço de video chamada para telemedicina, tais como Docway, Vydeo, WebEX, StarLeaf e Doxy.

Voltar para página do COVID-19