IA, telemedicina e médicos de referência minimizam impacto da pandemia de COVID-19

14/03/2020 09:28:57
Pacientes e médicos têm dificuldades lidar com a prevenção e com o tratamento do COVID-19, afinal é uma patologia nova na qual os protocolos de referência ainda estão sendo definidos. Não há um passo-a-passo ótimo, ainda.


A Mindify minimiza essa problemática automatizando protocolos clínicos que podem ser tanto da triagem e acompanhamento residencial, a até a atenção hospitalar intensiva. Além de ajudar a padronizar processos, dados clínicos do mundo real de alta qualidade são coletados para que estatísticas possam ser compartilhadas com as lideranças médicas que estão refinando os protocolos da patologia dia-a-dia.


A partir de questionários Web simples a Mindify consegue apresentar aos pacientes orientações assertivas sobre o que deve ou não deve ser feito. Por exemplo, os algoritmos inteligentes (baseados em IA) podem sugerir que um paciente com suspeita de infecção de COVID-19 siga um passo-a-passo para se monitorar e até mesmo proteger suas famílias de contaminação até que seja possível confirmar ou descartar a doença. Esse mesmo algoritmo monitora os sintomas informados pelo próprio paciente e no momento certo sugere que ele converse com um médico via teleorientação ou, para os casos mais graves, presencialmente em hospital. Na prática a Mindify ajuda reduzir o volume de pacientes que buscarão os prontos-socorros. 


O atendimento hospitalar também é beneficiado na medida em que, com a autorização do paciente, todos os dados previamente informados por ele podem ser visualizados pelos médicos que por sua vez também recebem orientações clínicas da Mindify. 


“A Mindify é especialmente útil para epidemias na medida em que especialistas médicos, como os da UNIMED FESP, podem parametrizar protocolos complexos e então compartilhá-los com outros médicos e até com a população dentro de formulários eletrônicos simples de usar”, comenta André Ramos, CEO da Mindify.


Neste sentido, a Mindify anuncia uma parceria com a Federação das Unimeds de São Paulo (UNIMED-FESP) para ajudar seus quase 5 milhões de vidas a serem atendidos com excelência dentro de linhas de cuidado gerenciadas especialmente criadas e atualizadas dia-a-dia para a endereçar o COVID-19. Além disso, todos os dados estruturados gerados pelo uso da Mindify serão disponibilizados em uma sala de situação que permitirá a tomada de decisões epidemiológicas. Tudo isso começa a funcionar na próxima semana e a versão final será publicada até o final do mês de março.